logo-ventiur

Menu

VENTI[UR] x VENTU[IR]

Você que nos acompanha a mais tempo já deve ter visto alguém se referir à aceleradora como VENTUIR. Por isso, resolvemos contar pra vocês de onde veio esse nome e o que ele significa.

Início

A VENTIUR nasceu lá em 2013, como primeira aceleradora do sul do Brasil, quando o nosso CEO, Sandro Cortezia, percebeu uma oportunidade pelo Startup Brasil, nosso parceiro desde o início.

Na época, o Sandro e seu sócio tinham a VENTI, empresa de consultoria e então criou-se um braço da VENTI, a VENTI Venture, focada em startups. O problema é que VENTI Venture é um pouco difícil de falar. É uma expressão um tanto quanto cacofônica. Percebendo isso, deu-se o nome da aceleradora de VENTIUR, com a pronúncia que lembra a tão falada expressão inglesa no ecossistema de empreendedorismo “venture”.

E o (UR)?

Você já deve ter visto o UR da VENTIUR em algumas apresentações e postagens nossas por aí. Bom, o UR nasceu justamente para reforçar que é VENTI[UR] e não VENTU[IR] (sim, esse problema nos acompanha já há algum tempo) e para ter certeza que o UR não seria um problema, o Sandro resolveu dar uma pesquisada.

Logo de cara, o primeiro resultado encontrado foi a cidade de Ur, berço de Abraão, símbolo do cristianismo, judaísmo e islamismo, símbolo de fé, de força, de superação, de garra, do início de coisas grandiosas. Além disso, pesquisando mais afundo, descobriu sobre as ruínas de Ur e sobre como fossem possivelmente ainda mais ricas do que a própria Babilônia.

Dessa forma, ficou decidido: VENTI Venture, se tornou VENTIUR, e o UR seria utilizado como símbolo do início de algo grandioso e valioso. Assim como as startups que aceleramos, o UR representa o potencial, o valor em acreditar em algo e correr atrás, apesar de parecer maluquice.

Compartilhamos propósitos
e resultados

Ventiur
Importantes
Fale Conosco

Email: contato@ventiur.net
Av. Unisinos, 950 / Sala 101
Tecnosinos – Unitec I
São Leopoldo/RS

© Copyright Ventiur – 2021 | Todos os direitos reservados

Aclamadas pela comunidade científica, as Deep Techs estão sob o mesmo guarda-chuva de empresas criadas a partir de disrupções em áreas como biotecnologia, engenharia e arquitetura de dados, genética, matemática, ciência da computação, robótica, química, física e tecnologias mais sofisticadas e profundas. São startups que propõem inovações significativas para enfrentar grandes problemas que afetam o mundo.

 

Por mais que tentar chegar a uma definição possa parecer um exercício bastante ousado, quando falamos de uma área de tamanho conhecimento e aplicação, negócios que se enquadram dentro deste conceito, tratamos de soluções com alto valor agregado, que irão impactar positivamente não só um grupo determinado específico de pessoas, mas que podem mudar o mundo.

 

Para fomentar ainda mais o setor e auxiliar nesse crescimento, o Delta Capital abriu inscrições para selecionar Deep Techs. A chamada inicia dia 22/11 e vai até 10/12, não perca tempo e inscreva-se aqui!

 

 Em breve conheceremos as iniciativas selecionadas.