A VENTIUR, em parceria com o BRDE e a Aliança para a Inovação, realizou uma live para debater o assunto da retomada da economia pós-covid 19.

Os convidados foram Eduardo Glitz, sócio da Startse, o economista Aod Cunha e Luiz Noronha, vice presidente do BRDE.

Segundo Aod, durante 100 anos tivemos 17 ciclos de expansão e recessão econômica, e a última expansão durava 10 anos. Por isso era esperado uma recessão, porém ninguém esperava o Coronavírus. É muito difícil fazer previsões exatas, mas já é estimados 6 a 7% de queda na economia que não tende previsão de voltar em “V” como ocorreu em 2008, mas vai passar. É importante que as empresas se preparem para uma retomada mais lenta, pois além do problema de mercado de trabalho, teremos um grande chance de problemas de crédito mais a frente.

Em relação a política de crédito, grandes empresas conseguem crédito ainda barato, porém pequenas e médias empresas podem enfrentar dificuldades pois a régua de crédito subiu, ou seja, segundo Aod o governo e as entidades de fomento são fundamentais para assumir parte do risco. E para isso é importante entender cada setor individualmente, pois algumas estão seguindo bem e muitas outras estão sendo muito prejudicadas.

Sobre inovação, é importante que as empresas se dediquem para entender as novas tendências, se adaptarem e se conectarem com o ecossistema. Muitas oportunidades existem, e as empresas que não conseguem enxergá-las, podem sofrer muito nesse período.

Para Glitz, o desafio é estar preparado para o novo normal, que envolve mudanças de comportamento que foram antecipados em vários anos em função do covid-19. Um exemplo é o ecommerce que está sendo muito mais utilizado. Outra mudança de hábito é a prioridade para a saúde e a preocupação com aglomerações. Mesmo pós pandemia, as pessoas terão dificuldade em se relacionar em locais públicos. As empresas precisam estar preparadas para atender com segurança tanto os seus clientes quanto com os seus funcionários.

“Nunca desperdice uma boa crise”. Essa frase de Warren Buffet também foi citada por Glitz que citou a importância da tomada de decisão nesse momento de retração. Muitas empresas agiram de forma rápida em ações que antes demorava muito tempo para serem tomadas.

Outra questão também é a digitalização das empresas. Por exemplo, em cidades pequenas o principal lojista é quem escolhia quais televisões venderiam, pelo simples fato de comparem da indústria e o cliente final não ter acesso a outros modelos. Hoje o cliente na ponta tem acesso a todos os ecommerces do Brasil e podem escolher a televisão que quiser. Dessa forma empresas locais que não entenderem que estão se preparando para competir nacionalmente e até mesmo mundialmente, podem enfrentar sérios problemas. O grande case citado por Glitz é a Magazine Luisa, que tem 1.100 lojas mas se projeta ao mercado como um grande ecommerce que possui 1.100 pontos de distribuição.

As inscrições para o programa BRDE Labs seguem até dia 31/05 e podem ser feitas pelo site: https://ventiur.net/brdelabs/