CVC Comunitá seleciona startups para receber aceleração e investimentos

CVC Comunitá Sicredi powered by Ventiur.

A VENTIUR mobiliza uma rede de conexões qualificada formada por investidores e empreendedores através de seus veículos de investimento. Neste texto vamos falar de um deles em especial, o CVC Comunitá powered by Ventiur – que é uma parceria com as cooperativas de crédito Sicredi Pioneira e Sicredi Caminho das Águas, e que foi lançado em abril deste ano durante o Gramado Summit, na serra gaúcha. 

Esse novo veículo de investimento vai operar em modelo de Corporate Venture Capital (CVC) – modalidade de inovação aberta que tem crescido consideravelmente nos últimos anos (falaremos um pouco mais desse modelo abaixo). Segundo o head de Inovação e Corporate Venture da VENTIUR, Leonardo Mezzomo,  os empreendedores que tiverem interesse em inscrever sua startup  podem acessar o site do programa. Podem participar da seleção startups de qualquer região do País, porém estas devem seguir alguns requisitos específicos. 

CVC Comunitá: Parceria entre Ventiur e Sicredi.

Conforme Mezzomo, critérios como inovação, equipe, estágio e modelo de negócio, dentre outros aspectos do negócio, estão sendo analisados durante o período de seleção. Também serão analisadas questões como maturidade do negócio, trajetória do empreendedor, complementaridade da equipe, dentre outros. Nesse contexto, o CVC Comunitá powered By Ventiur está em busca de startups em early stage ou em tração, com validação de mercado e preferencialmente gerando receita com clientes em um modelo escalável.  

 “O CVC Comunitá também busca startups que o Sicredi possa alavancar o seu crescimento”, observou o head da VENTIUR.

A página do programa disponibiliza um FAQ (perguntas e respostas) bastante completo e intuitivo, que poderá guiar os interessados em participar do programa durante o processo de inscrição. Após a conclusão dessa etapa, a qual deverá ser feita via formulário, serão agendadas entrevistas com os empreendedores.

Comunitá procura startups focadas em demandas das cooperativas

Mezzomo observou também que o CVC Comunitá, como o nome já diz “comunidade”, do italiano, está em busca de startups que possam contribuir com as matrizes econômicas das regiões nas quais as cooperativas do Sicredi estão inseridas. Nesse cenário deverão ser selecionadas, prioritariamente, startups com foco na resolução de problemas reais do mercado, que agreguem soluções para setores como turismo, indústria, comércio, serviços e agronegócio.

Sobre este último segmento, em especial, cada vez mais a tecnologia está presente nas propriedades rurais, auxiliando o produtor a reduzir custos e aumentar sua produtividade. 

“O Comunitá busca identificar e acelerar startups que possam contribuir também com o crescimento dos cooperados do Sicredi, na entrega de soluções qualificadas pelo seu cotidiano”, observou o Head de Inovação e Corporate Venture da VENTIUR. 

Com sede em Nova Petrópolis (RS), o Sicredi Pioneira atua na região da Serra Gaúcha e Vale do Sinos, enquanto a atuação do Sicredi Caminho das Águas compreende 34 municípios dos Vales do Sinos e Paranhana, e Litoral Norte. A sede da cooperativa está localizada em Rolante.

Além das questões que falamos acima, a intenção do programa é que as startups selecionadas possam contribuir para alavancar o crescimento das cooperativas Sicredi Pioneira e Sicredi Caminho das Águas. Nesse contexto a parceria terá foco em empresas de base tecnológica, especialmente de setores como open finance, omnichannel humanizado, ESG, novos meios de pagamento, moedas digitais, comportamento de consumo e cibersegurança. 

Após serem selecionadas, startups recebem aceleração

Conforme Mezzomo após o processo de seleção inicia o período de aceleração das novas startups. Além dos aportes financeiros, nessa fase os empreendedores terão o acompanhamento dos mentores da VENTIUR. Eles devem participar de bootcamps, reuniões de acompanhamento e eventos de capacitação com foco no desenvolvimento de seus times.

Esse processo contribui para que as empresas possam alavancar seu crescimento no mercado. E em alguns desses casos, é justamente durante essa etapa que os empreendedores aprimoram seu produto, e consolidam seu modelo de negócio. Além do investimento, os empreendedores recebem da Aceleradora mentoria qualificada, com foco em resultados práticos, que é o chamado smartmoney.

O período de aceleração terá a duração de nove meses, porém a VENTIUR segue acompanhando as startups até o desinvestimento, o chamado exit, que é quando a empresa é vendida a outra organização. 

Investimento por CVC permite criação de novos modelos de negócio

O Corporate Venture Capital (CVC) tem possibilitado a criação de novos modelos de negócio. Na prática, o CVC pode se dar através da aquisição de participação minoritária, onde o controle permanece com os empreendedores.

Cabe salientar que existem Corporate Venture Capitals especializados em investimento para startups de estágio inicial e aqueles destinados a empresas mais avançadas. Nesse contexto, o investidor, além do aporte financeiro, entrega à startup o chamado smart money, que são seus conhecimentos especializados em gestão, os quais incluem administração, marketing e estratégia de negócios. Além de focar nos objetivos financeiros, o CVC, pode estar atrelado aos objetivos estratégicos da organização investidora, tendo em vista que ao estreitar o relacionamento com iniciativas inovadoras, se colocando em posição de vantagem no mercado. 

O CVC permite ainda que as organizações já estabelecidas possam ter acesso às tendências de inovação presentes no mercado. modalidade de investimento, além de diversificarem seus investimentos e aumentarem suas fontes de renda. A combinação desses resultados gera maior retorno aos investidores.  

VENTIUR investe em negócios inovadores desde 2013

Criada em 2013, a VENTIUR é uma das principais aceleradoras de startups do Brasil e está sediada no Tecnosinos, em São Leopoldo/RS. Por meio de nossa rede de parceiros e investidores, já aportamos recursos financeiros e smartmoney em mais de 70 negócios inovadores, avaliados em mais de R$ 400 milhões. Até o momento já contabilizamos um total de oito exits – expressão que se refere ao ponto de saída de uma startup do portfólio de aceleração. Isso acontece quando o empreendimento é adquirido por outra empresa/organização de maior porte.

A VENTIUR oferece diferentes níveis de serviço, sendo que alguns destes têm focos de atuação e condições de investimento específicas. O suporte qualificado de uma Aceleradora poderá fazer toda a diferença entre o sucesso e o fracasso de uma startup, a qual busca um modelo de negócio repetível e escalável. Nesse contexto, o processo de aceleração de novos negócios da VENTIUR contribui para que as empresas possam alavancar seu crescimento no mercado. 

Para mais informações sobre nossos programas de aceleração e investimento em startups, entre em contato com nossa equipe. Para ficar atualizado sobre as notícias e tendências sobre empreendedorismo e inovação, siga a Ventiur nas redes sociais.

Colaboração que gera inovação

Empresas e startups se unem em projetos de aceleração de ideias em que todas as partes ganham. Conheça dois cases envolvendo o Tecnosinos 

Fonte: Zero Hora

  No Brasil, onde empresas são, em geral, avessas ao risco, a parceria com startups vem ganhando espaço como alternativa para manter o negócio atual e relevante. Inovação aberta é expressão-chave para empresas do amanhã: organizações que buscam inovar podem beneficiar-se de processos e profissionais externos.

— As empresas não possuem todas as competências, e as startups são pura inovação, agilidade e flexibilidade. Uma das formas mais naturais de parceria é a empresa se utilizar dessa capacidade para diferenciar seu negócio — avalia Sandro Cortezia, fundador e diretor-executivo da aceleradora Ventiur e coordenador do Pós-MBA em Gestão da Inovação da Unisinos.

Dois cases recentes da Ventiur evidenciam que este é um caminho tanto para grupos tradicionais como para empresas jovens. A multinacional thyssenkrupp, uma das líderes de mercado de tecnologia e soluções para o transporte de pessoas, e a Taura, empresa especializada em arames fundada em 2008, buscaram aproximar-se de startups em programas que contaram com a consultoria da aceleradora e a estrutura da Unisinos.

O processo segue a metodologia do design thinking e começa com uma imersão da equipe da Ventiur para entender as demandas e anseios das empresas. São selecionadas startups com projetos alinhados à estratégia de inovação corporativa. Elas recebem mentoria que envolve workshops e encontros com equipes da aceleradora e da “empresa-mãe”.

A thyssenkrupp focou em projetos de eficiência energética, elevadores inteligentes e inovação e logística. Das mais de 40 startups cadastradas, duas foram premiadas. Para Evelin Bicca, analista de inovação da área de negócios Elevator Technology da thyssenkrupp para o Brasil, a experiência foi um passo em direção à cultura da inovação aberta.

— Em um mês, elas apresentaram protótipos que costumam levar meses. Isto ocorre porque os empreendedores vivem o processo e são apaixonados pelo que fazem, fator que contribui com os bons resultados alcançados — avalia.

 

20428836

Startups do Open Taura apresentaram projetos no Demo Day, no auditório da incubadora Unitec, no Tecnosinos

Inovação na pecuária

  A Taura importa e exporta arames para cercamento, mercado em que a concorrência é formada por siderúrgicas. Em um setor carente de avanços tecnológicos significativos, a empresa buscava soluções disruptivas em energias renováveis, divisão de pastagem e ferramentas para cercamento. Dos cerca de 20 inscritos no Open Taura, três foram selecionados.

— O mercado começou a olhar para a Taura como uma empresa atenta à inovação. Inclusive, estamos recebendo o prêmio Destaque Gaúcho Empresarial, na categoria Agronegócio — comemora Fabiano Siqueira, gerente de produtos da Taura.

Para Alexandre Bolzan, sócio-fundador da selecionada Weevee, o know how das empresas é um direcionamento valioso.

— O mais importante é a aproximação com quem está há anos trabalhando o mercado em questão. Assim, sabemos se o esforço é válido naquele momento — avalia Bolzan.

 

Quer saber mais sobre o Open (programa de inovação aberta) da Ventiur? Acesse aqui.

 

LEIA TAMBÉM…

OPEN THYSSENKRUPP MOVIMENTA O ECOSSISTEMA DE STARTUPS 

THYSSENKRUPP ELEVADORES INVESTE EM CORPORATE VENTURE

OPEN TAURA ENCERRA COM PRODUTOS INCRÍVEIS

SOPRANO DESENVOLVE PROJETO INOVADOR ATRAVÉS DE PARCERIA

INOVAÇÃO: ENTENDA O TERMO

Open thyssenkrupp movimenta o ecossistema de startups

Por Priscilla Mella | Fotos: Isadora Longo

 

Na última semana, mais um programa de Inovação Aberta e Corporate Venture foi encerrado, o Open thyssenkrupp. No evento de apresentação das startups à banca avaliadora, o DemoDay thyssenkrupp, oito empresas tiveram a oportunidade de expor suas soluções de mercado direcionadas às necessidades da empresa. Na ocasião, as startups tiveram dez minutos para o pitch e cinco para as perguntas, totalizando três horas de evento com as demais inserções da solenidade, no Tecnopuc.

Event Demoday card

 

As startups que chegaram ao DemoDay (2b face, BrasilSul Logística, Inventsys, LógicaE, MF Consult, Prosumir e WeeVee) passaram 21 dias focadas em modelar, adaptar, testar e/ou validar seus produtos/serviços para exibí-los à thyssenkrupp Elevadores. Para acompanhar os empreendedores e contribuir com suas evoluções no programa, o Núcleo de Inovação da thyssenkrupp Elevadores elegeu, dentro de sua equipe, um padrinho para cada empresa a fim de facilitar o elo com a organização.

Entre os segmentos que a empresa buscava encontrar soluções a partir do programa estavam inovação em logística, elevador “inteligente” e energia renovável. Como saída do evento e finalização do Open thyssenkrupp, a empresa que realizou o programa apontará, em até 30 dias, com quais startups tem interesse em continuar o processo de inovação.

7c749737-ed98-44ff-9b82-e2c253d7d2ce

 

VISÃO INTERNA

Facilitadora do programa e consultora executiva da Ventiur Isadora Longo explica que para um Open (programa de Inovação Aberta da Ventiur) ser assertivo, ele necessita ter uma colaboração mútua. A aceleradora estar engajada com a equipe que vai trabalhar no projeto da empresa e a empresa abraçar o projeto e querer tocá-lo em frente é um presságio de sucesso. “Foi o que aconteceu com o Open thyssenkrupp. O Núcleo de Inovação da thyssenkrupp Elevadores estava muito engajado com a ideia e abriu as portas internamente para que isso acontecesse. […] O DemoDay foi só o encerramento desse programa, dessa sinergia de equipe (da thyssenkrupp e da Ventiur) que deu tão certo”, descreve Longo.

6b548412-cd90-4218-a386-d88294b39d99

 

O QUE É O OPEN?

O projeto Open é uma solução da Ventiur que visa dinamizar a cultura da inovação organizacional por meio de conexão com startups em um processo de Inovação Aberta. Utilizando as práticas de design thinking, inicia com uma etapa e imersão, buscando entender as “dores” e oportunidades de inovação; passa pela prospecção, seleção e capacitação de projetos alinhados à estratégia de inovação corporativa e culmina na aceleração de startups com potencial de conexão com a corporação.

Se sua empresa quer inovar, entre em contato conosco e conheça o Open!

 

LEIA TAMBÉM…

THYSSENKRUPP ELEVADORES INVESTE EM CORPORATE VENTURE

OPEN TAURA ENCERRA COM PRODUTOS INCRÍVEIS

SOPRANO DESENVOLVE PROJETO INOVADOR ATRAVÉS DE PARCERIA

INOVAÇÃO: ENTENDA O TERMO

SEGUNDA ETAPA DO OPEN TAURA INICIA COM TODO GÁS

 

Open Taura encerra com produtos incríveis!

Programa de aceleração corporativa voltado para o agronegócio encerra com evento para apresentar produtos disruptivos ao segmento

Por Priscilla Mella | Fotos: Kyoodai e Marketing da Taura

 

Ao longo dos últimos três meses cinco startups tiveram a oportunidade de aperfeiçoar seus produtos e serviços, voltando-os para o agronegócio. Na última quinta-feira, 03/03, às 16h, apresentaram à Taura, no auditório da incubadora do Tecnosinos – Unitec, seus resultados.

Demoday

 

O Open Taura, programa realizado pelo Núcleo de Inovação Taura em parceria a aceleradora Ventiur e o parque Tecnosinos, procurava ideias que fizessem a diferença nas áreas de energia renovável, tecnologia na divisão de pastagem e ferramentas para cercamento – o setor de ferramental para agronegócio, no Brasil, está estagnado há 60 anos. O Núcleo de Inovação Taura, junto com a aceleradora, selecionou cerca de 20 projetos dos quais somente cinco (Automatizare, Green Tec, Life Lab, Snitch e Weevee) chegaram ao evento final.

Das escolhidas para mostrar sua evolução e suas soluções de produtos inovadores para o segmento, aquelas que tiverem maior viabilidade, a Taura irá tornar-se parceira para desenvolver os produtos e colocar no mercado através do seu canal já estabelecido.

Demoday_Open_Taura_web

 

Como surgiu e o que é o programa Open Taura

Na busca para melhorar e facilitar as rotinas do homem do campo, a Taura iniciou o programa Open da Ventiur e criou o setor Núcleo de Inovação Taura.

O projeto, que agrega conceitos de Aceleração Corporativa e Corporate Venture, visa dinamizar a cultura da inovação organizacional por meio de conexão com startups em um processo de Inovação Aberta. Utilizando as práticas de Design Thinking, inicia com uma etapa e imersão, buscando entender as “dores” e oportunidades de inovação; passa pela prospecção, seleção e capacitação de projetos alinhados à estratégia de inovação corporativa e culmina na aceleração de startups com potencial de conexão com a corporação.

 

LEIA TAMBÉM…

SEGUNDA ETAPA DE OPEN TAURA INICIA COM TODO GÁS

TAURA INICIA PROGRAMA DE CORPORATE VENTURE

STARTUPS A KM POR HORA!

THYSSENKRUPP INVESTE EM CORPORATE VENTURE

 

Conheça as empresas e os produtos apresentados no evento:

Automatizare:

Empresa do ramo de automação com projeto relacionado a tecnologias de cercamento. A ideia inicial do projeto foi mantida ao longo do processo. O projeto sofreu adaptações somente na estratégia de venda pois, inicialmente a ideia era vender a solução como um implemento agrícola. Conforme as pesquisas de mercado foram realizadas percebeu-se que seria mais atrativo para os produtores a venda na forma de prestação de serviço, onde o implemento é levado até a propriedade executa a atividade e a precificação fica na forma de uma cobrança de um valor por metro de cerca concluída. O produto consiste basicamente em um implemento que quando acoplado em um trator executa o alinhamento e fixação dos arames nos moerões através de presilhas que são pregadas aos moerões automaticamente. O equipamento também estica o arame e tem seu principio de funcionamento baseado em atuadores pneumáticos.

Green Trailer:

Green trailer consiste em uma empresa que desenvolveu um reboque com um banco de baterias que são carregadas através de placas solares. O projeto deriva de um primeiro protótipo de moto elétrica que carrega suas baterias com painéis fotovoltaicos, vencedor do prêmio Roser do Tecnosinos. O projeto oferece uma solução completa, a empresa também dedica espaço do reboque para carregamento de ferramentas e durante o Open Taura realizou suas pesquisas de mercado e constatou que precisaria aumentar a gama de tamanhos dos reboques oferecidos, terminando por oferecer três diferentes modelos. O que diferencia os modelos é simplesmente o tamanho e capacidade de carga do reboque que, por consequência pode, em seu modelo menor, ser levado por uma moto.

 

Imagem2

 

Life Lab:

Life lab é uma empresa que já tem experiência com energias renováveis utilizando painéis solares. Continuando sua busca por novas soluções chegou a uma inovadora forma de geração de energia através de uma fonte alternativa promissora. Através da utilização de um motor Bedini adaptado o sistema é capaz de gerar energia através de um rotor que utiliza imãs e produz energia a custos estimados como mais baixos que os atuais. Durante o processo foi possível construir um protótipo funcional em escala menor, em termos de geração de energia. A hipótese de produção que ainda precisa ser validada é a troca do gerador existente no protótipo por um gerador com inércia menor para que o motor possa conferir maior rotação e por consequência, gerar amis energia barata. Esta etapa esta prevista para ser testada em alguns meses e o novo protótipo validado pela equipe técnica da Lifelab para que então o produto seja concluído e comercializado.

Snitch:

Snitch é uma empresa já consolidada no ramo de segurança residencial por sistema automatizado de câmeras. Ao ingressar no Open Taura o projeto era desenvolver alguma solução de cercamento virtual ligado à segurança. Com o decorrer do projeto foi possível perceber que uma tecnologia de cercamento via câmeras em uma fazenda inteira seria muito cara. Sabendo disso a empresa alterou seu projeto inicial e começou a realização da prototipagem de uma solução de segurança patrimonial para propriedades rurais. Esta solução é dimensionada para áreas menores (por exemplo, a região da sede da fazenda) que contem produtos ou materiais de alto valor agregado como, por exemplo, fazendas de gado de elite, cavalos de raça, orquidários, galpões e casas da fazenda.

Weevee:

A empresa Weevee traz para o projeto Open Taura um conceito de cercamento virtual, onde as fazendas não teriam mais que possuir cercas para alocar seus bois nos determinados piquetes ou áreas de pastagem. Como o projeto é ambicioso e o desenvolvimento de alguma solução, tanto no panorama técnico quanto mercadológico contem muitas variáveis, o foco da empresa durante o Open Taura foi de estabelecer pesquisas de mercado mais solidas para antes de tudo ter uma ideia que fundamente o conceito de cercamento virtual que a empresa está planejando de uma maneira viável.

 

Confira mais fotos do evento!

 

IMG_6118 IMG_6121 IMG_6145 IMG_6148 IMG_6151 IMG_6166 IMG_6189 IMG_6198IMG_7276 IMG_7293 IMG_7296

Ventiur expande para nordeste do Brasil

Por Priscilla Mella

Na busca por um posicionamento no setor de inovação a Agenda Consultoria fecha parceria com a aceleradora Ventiur para representar a marca no nordeste do país. Com sede em Salvador, a Agenda conta com a operação de soluções da Ventiur para movimentar o ecossistema de startups da região. O contrato passa a vigorar ainda na primeira quinzena de fevereiro.

parceria

A parceria prevê que os primeiros testes sejam o MVP, projeto que visa ampliar as oportunidades do setor de Micro e Pequenas Empresas da Cadeia Produtiva de Petróleo, Gás e Energia através de funding, e o Warmup, programa de pré-aceleração de startups da Ventiur.

Esse processo tende a validar e mobilizar a região para que a longo prazo sejam desenvolvidas também aceleração, constituição de clubes de investimentos de startups e desenvolvimento de projetos de Corporate Venture (denominado Open pela Ventiur). Inicialmente sendo operacionalizados nos estados da Bahia, Pernambuco, Sergipe e Alagoas, tendo assim um suporte qualificado de equipe mais próximo.


LEIA TAMBÉM ESTES ASSUNTOS RELACIONADOS:

AS MELHORES OPORTUNIDADES PARA STARTUPS EM 2016

OPEN TAURA: O PROCESSO CONTINUA

THYSSENKRUPP ELEVADORES INVESTE EM CORPORATE VENTURE


“Acreditamos que com a vinda da Ventiur a comunidade de startups da região tenha um suporte mais seguro e esclarecedor”, explica Diretor Executivo da Agenda Consultoria, Edgar Muniz.

A Agenda Consultoria é uma empresa de mais de 10 anos especializada em assessoria, em consultoria e em gestão empresarial que vislumbrou na parceria o reforço do seu lema: Dividir para multiplicar. “Não ganhamos sem dividir. Nessa parceria vemos pessoas com competências complementares e uma marca com posicionamento interessante, a Ventiur possui uma cultura jovem. Informalidade com responsabilidade, eu vejo dessa forma, essa é a conexão que queremos”, enfatiza Muniz.

thyssenkrupp Elevadores investe em Corporate Venture

Empresa com mais de 70 anos de experiência em seu segmento expande a inovação e inicia programa de Open Innovation com a Ventiur. O projeto Open, que começou a ser executado no final de setembro, agrega conceitos de Aceleração Corporativa e Corporate Venture. A thyssenkrupp Elevadores, que possui uma Área de Inovação, busca, pela primeira vez, aproximação com o ecossistema de startups e soluções inovadoras fora do próprio grupo.

O projeto Open, para quem não conhece, é uma solução da Ventiur que visa dinamizar a cultura da inovação organizacional por meio de conexão com startups em um processo de Inovação Aberta. Utilizando as práticas de Design Thinking, inicia com uma etapa e imersão, buscando entender as “dores” e oportunidades de inovação; passa pela prospecção, seleção e capacitação de projetos alinhados à estratégia de inovação corporativa e culmina na aceleração de startups com potencial de conexão com a corporação.

 

LEIA TAMBÉM ESTES ASSUNTOS RELACIONADOS:

TAURA INICIA PROJETO DE CORPORATE VENTURE

SOPRANO DESENVOLVE PROJETO INOVADOR ATRAVÉS DE PARCERIA

O FUTURO DA TELEMEDICINA TEM NOME: QUALIS

 

A fim de compreender melhor o que se pretende executar ao longo do processo, Lourenço de Pauli, Consultor Executivo da Ventiur e Líder do Projeto Open, explica os próximos passos: “Depois desse período de imersão, em que estamos vivendo agora, vamos lançar um chamado para pessoas, empresas e startups que busquem ajudar no desenvolvimento de inovação em alguns produtos e serviços da thyssenkrupp. Selecionaremos os projetos que potencialmente mais agreguem aos temas que serão propostos e começaremos um

up

trabalho de pesquisa e desenvolvimento co-criado. No fim disso tudo, esperamos encontrar algum projeto que seja viável e passível de ser desenvolvido e co-acelerado por Ventiur e thyssenkrupp”. Na visão da thyssenkrupp Elevadores, Evelin Allet Bicca, Analista de Inovação e Gestora do Projeto, situa o que o Grupo espera desse programa: “Nós acreditamos no sucesso do Open, principalmente a fim de ofertar aos nossos clientes soluções diferenciadas e inovadoras. Desejamos fazer a inovação acontecer com parceiros fora da thyssenKrupp Elevadores, pois acreditamos na inovação com as startups e universidades”.

thyssen

A thyssenkrupp Elevadores, é uma empresa do Grupo thyssenkrupp, com sede na Alemanha, atua na fabricação, instalação, assistência técnica e modernização de elevadores. O Grupo é um dos mais importantes ligados à tecnologia e ocupa uma posição de destaque no mercado internacional.

 

Quer inovar na sua empresa de forma ágil usando a conexão com o ecossistema de startups? Entre em contato conosco e marque um café. Esperamos você…

Taura inicia projeto de Corporate Venture

Empresa amplia a inovação em seus negócios com projetos em Open Innovation em parceria com a Ventiur e Tecnosinos. A Taura atua no setor do Agronegócio, tendo uma participação expressiva em seu segmento graças a uma postura inovadora. Seu desafio é auxiliar a reduzir a fome no mundo pelo aumento da produtividade no campo, razão pela qual investe em inovação.

Imagem1

Para quem não conhece, o Open é uma solução da Ventiur que agrega conceitos de Aceleração Corporativa e Corporate Venture. Visa dinamizar a cultura da inovação da organização por meio de conexão com startups em um processo de Inovação Aberta. Utilizando as práticas de Design Thinking, o programa inicia com uma etapa de imersão, em que se busca entender as “dores” e oportunidades de inovação; passa pela prospecção, seleção e capacitação de projetos alinhados à estratégia de inovação corporativa e culmina na aceleração de startups com potencial de conexão com a corporação.

 

LEIA TAMBÉM ESSES ASSUNTOS RELACIONADOS:

6 DICAS PARA O FINANCEIRO DA SUA EMPRESA

INOVAÇÃO: VOCÊ REALMENTE SABE O QUE SIGNIFICA?

VENTIUR INTEGRA CLUSTER PARA SAÚDE DO RS

SOPRANO DESENVOLVE PROJETO INOVADOR COM A VENTIUR

 

A Taura, especialista no mercado do agronegócio, em pouco mais de 7 anos de existência já se destaca no setor ofertando produtos de alta qualidade e inovação, especialmente em seu modelo de negócios. Mais que optar por levar a excelência aos seus clientes e usuários, a empresa prima por algo além, mira em trazer as escolhas do futuro agora.

Imagem2

Grandes empresas e corporações vem buscando na inovação aberta, e no Corporate Venture, uma alternativa para renovarem seus negócios e manterem-se competitivas. A Ventiur acredita que este é um modelo de sucesso, e tem apoiado diversas empresas nesse caminho. Além da Taura, a Ventiur fechou há pouco outra parceria similar. Mas isso é pauta para um próximo post.

taura

Quer inovar na sua empresa de forma ágil e acessível, aproveitando a conexão com o ecossistema de startups? Entre em contato conosco e marque um café. Esperamos você…

Aclamadas pela comunidade científica, as Deep Techs estão sob o mesmo guarda-chuva de empresas criadas a partir de disrupções em áreas como biotecnologia, engenharia e arquitetura de dados, genética, matemática, ciência da computação, robótica, química, física e tecnologias mais sofisticadas e profundas. São startups que propõem inovações significativas para enfrentar grandes problemas que afetam o mundo.

 

Por mais que tentar chegar a uma definição possa parecer um exercício bastante ousado, quando falamos de uma área de tamanho conhecimento e aplicação, negócios que se enquadram dentro deste conceito, tratamos de soluções com alto valor agregado, que irão impactar positivamente não só um grupo determinado específico de pessoas, mas que podem mudar o mundo.

 

Para fomentar ainda mais o setor e auxiliar nesse crescimento, o Delta Capital abriu inscrições para selecionar Deep Techs. A chamada inicia dia 22/11 e vai até 10/12, não perca tempo e inscreva-se aqui!

 

 Em breve conheceremos as iniciativas selecionadas.