Investimento em startup deve se manter em alta para 2022

Share on linkedin
Share on facebook

O investimento em startup deve se manter em alta para 2022. Mesmo com as incertezas causadas pela pandemia da Covid 19, os negócios inovadores brasileiros estão na preferência dos investidores. Apenas no primeiro semestre do ano, US$ 5,2 bilhões foram investidos em startups do País, conforme o relatório Inside Venture Capital, organizado pela plataforma de inovação aberta Distrito

O índice trata-se ainda de um recorde histórico, pois superou em 45% os aportes financeiros feitos em startups durante todo o ano de 2020. As startups que receberam os maiores investimentos são fintechs (finanças), proptechs (imobiliário) e retailtechs (varejo). No caso das fintechs, seu bom desempenho consolidou o Brasil com um dos grandes ecossistemas do setor no mundo, conforme relatório recente da consultoria Findexable – em um ano o número de startups do setor financeiro no Brasil saltou de 61 para 108.

Nessa lista destaque para os chamados ‘unicórnios’ – startups avaliadas em mais de US$ 1 bilhão (algo em torno de R$ 5,3 bilhões na cotação atual). Hoje o Brasil tem 20 unicórnios, sendo que entre os mais conhecidos estão IFood, Nubank, 99 Pop, Loggi, Gympass e PagSeguro. Mesmo com a crise sanitária e econômica desencadeada pela pandemia, a Associação Brasileira de Startups (ABStartups) projeta um cenário positivo para as empresas do setor para os próximos anos. A expectativa da entidade é de que o Brasil possa alcançar o número de 100 unicórnios até 2026. 

Conforme o presidente da ABStartups, Felipe Matos, uma startup leva de cinco a 10 anos entre os primeiros investimentos até se tornar um negócio de destaque. Nesse cenário, com o aumento crescente de investimento, a expectativa é que esse número cresça cada vez mais nos próximos anos.

Investidor brasileiro está em busca de investimento alternativo para 2022

O aumento do investimento em startup pode estar relacionado a diversos fatores, dentre eles a volatilidade do mercado e a queda da taxa de juros. Esse último ponto fez com que investidores buscassem ativos mais arriscados, porém mais rentáveis, como é o caso dos aportes financeiros em negócios inovadores.  

Com o fim dos altos juros em aplicações como títulos do Tesouro Direito, a tendência é que esse investidor procure alternativas para as carteiras tradicionais de investimento. Somente dessa maneira é que poderão ter uma rentabilidade real positiva, com ganhos acima da inflação. Além disso, especialistas do setor apontam ainda que a mudança do comportamento de consumo, em especial durante a pandemia, contribuiu para esse quadro. 

Impulsionado por esse cenário, houve aumento de 68% no índice de vendas online no primeiro semestre do ano com relação ao mesmo período do ano passado, segundo estimativa da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm). E o cenário deve se manter positivo mesmo após o fim da pandemia. Levantamento da Ebit/Nielsen aponta que 95% da população brasileira pretende continuar comprando em sites e aplicativos da internet mesmo com o término do confinamento causado pelo vírus. 

ESG acelerada pela VENTIUR recebeu aporte milionário

Uma das empresas que recebeu aporte milionário este ano é a Trashin – startup acelerada pela VENTIUR desde 2019 e que atua na gestão e logística reversa de resíduos em empresas e condomínios. A empresa recebeu um novo aporte financeiro por meio do chamado equity crowdfunding ou investimento coletivo em troca de participação na empresa em maio. 

Em apenas quatro horas foram aportados R$ 1 milhão via CapTable – tempo recorde para a modalidade de investimento coletivo no Brasil. A Trashin opera em sete estados brasileiros com a destinação correta do lixo coletado em condomínios e empresas dos mais diferentes segmentos. Atualmente mais de 80% dos resíduos coletados são aproveitados, sendo que o número de pessoas atendidas e impactadas, direta e indiretamente pela empresa, chegam a 250 mil.

A empresa faz parte de um dos segmentos que mais tem atraído a atenção dos investidores, o Environmental, Social and Governance (ESG). Essas empresas da área de tecnologia cultivam boas práticas de sustentabilidade e têm sua conduta pautada pelo social, ambiental e governança.

VENTIUR contabiliza quatro exits em oito anos

Em oito anos de atuação, a VENTIUR contabiliza até o momento um total de quatro exits – expressão que se refere ao ponto de saída de uma startup. Isso acontece quando o empreendimento é adquirido por outra empresa/organização de maior porte. O exit mais recente ocorreu em junho último, quando a Suiteshare, foi adquirida pela VTEX – plataforma global de comércio digital que reúne funcionalidades nativas de marketplace e gerenciamento de pedidos. 

A startup funciona como uma extensão digital das contas do whatsapp, o que ajuda as empresas a conectar clientes com diferentes pontos de contato de serviço. Já o primeiro exit da Aceleradora, ocorreu em 2017 quando, a plataforma Devorando foi vendida para a plataforma Ifood. Após a venda para a gigante do food tech, os empreendedores criaram outra empresa que também atua na gestão de empresas do setor de gastronomia, a Saipos.  

A empresa realiza desde o controle de produção até a emissão de notas fiscais – tudo de maneira prática e rápida. O setor de delivery de comida já é utilizado por 54% dos empresários do setor, segundo levantamento do Sebrae em parceria com a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel). 

Aceleradora já investiu em mais de 70 startups

A VENTIUR já investiu em mais de 70 negócios inovadores, avaliados em mais de R$ 300 milhões. Além dos negócios que receberam aporte, outros três mil foram avaliados pela equipe da Aceleradora. E esse número segue crescendo, pois a VENTIUR, em parceria com os seus veículos de investimento Hélice e Fundo20, inicia este mês seu novo ciclo de aceleração, o ‘#GoHard’

A intenção nesse novo ciclo é selecionar 10 startups, as quais devem receber aportes financeiros que variam entre R$ 200 mil e R$ 1 milhão, conforme nível de maturidade e atratividade. Em 30 de setembro serão pré-selecionadas algumas startups e a estimativa da VENTIUR é de que entre 30 e 40 negócios inovadores sigam para a etapa seguinte, que é o WarmUp.

Dados da ABStartups indicam que entre 2015 e 2019, o número de startups no Brasil pulou de 4.151 para 12.727 – aumento de 207%. Muitos destes negócios, em especial os da área de tecnologia, surgiram com o objetivo de facilitar o acesso das pessoas a produtos e serviços, e ganharam ainda mais força durante a pandemia da Covid 19. Com as medidas restritivas de distanciamento social, muitos processos que eram realizados apenas presencialmente, migraram para o ambiente digital, e propiciaram o surgimento de novas soluções. 

Criada em 2013 a VENTIUR é uma das principais aceleradoras de startups do Brasil e está sediada no polo tecnológico da Unisinos, o Tecnosinos, em São Leopoldo/RS. Nascemos para apoiar empreendedores diferenciados e com brilho nos olhos, auxiliando-os a transformar seus sonhos em negócios de crescimento exponencial. Nosso processo de aceleração potencializa a atitude empreendedora, estimulando a capacidade de execução, experimentação e co-criação. 

Se tiver interesse em obter mais informações sobre os programas de aceleração e investimento em startups da VENTIUR, pode entrar em contato pelo email [email protected].

Compartilhamos propósitos
e resultados

Ventiur
Importantes
Fale Conosco

Email: [email protected]
Av. Unisinos, 950 / Sala 101
Tecnosinos – Unitec I
São Leopoldo/RS

© Copyright Ventiur – 2021 | Todos os direitos reservados

Aclamadas pela comunidade científica, as Deep Techs estão sob o mesmo guarda-chuva de empresas criadas a partir de disrupções em áreas como biotecnologia, engenharia e arquitetura de dados, genética, matemática, ciência da computação, robótica, química, física e tecnologias mais sofisticadas e profundas. São startups que propõem inovações significativas para enfrentar grandes problemas que afetam o mundo.

 

Por mais que tentar chegar a uma definição possa parecer um exercício bastante ousado, quando falamos de uma área de tamanho conhecimento e aplicação, negócios que se enquadram dentro deste conceito, tratamos de soluções com alto valor agregado, que irão impactar positivamente não só um grupo determinado específico de pessoas, mas que podem mudar o mundo.

 

Para fomentar ainda mais o setor e auxiliar nesse crescimento, o Delta Capital abriu inscrições para selecionar Deep Techs. A chamada inicia dia 22/11 e vai até 10/12, não perca tempo e inscreva-se aqui!

 

 Em breve conheceremos as iniciativas selecionadas.