Startup está entre as selecionadas para o novo ciclo de aceleração da VENTIUR

Especializada em hortifruticultura, a plataforma Hortify reúne de maneira intuitiva dados de produção, mão de obra, estoque e financeiro, integrado com algoritmos inteligentes que auxiliam na tomada de decisão. Somado a isso, atendendo a exigências do governo brasileiro, a solução introduz um processo inteligente de rastreabilidade alimentar, agregando valor e transparência ao alimento. 

A Hortify é uma das cinco startups que formam a turma 11 da VENTIUR. O CEO e um dos fundadores da Hortify, Vinícius Sossella, comentou que a empresa está presente em mais de 100 propriedades rurais das regiões Sul, Sudeste e Nordeste do País. Explica que a plataforma da empresa realiza toda a gestão da produção de frutas, verduras e hortaliças, passando por gestão financeira, mão de obra, gestão de produtos e central de compras. 

Através da geração de relatórios e gráficos, o aplicativo da empresa fornece todos os dados para que o produtor possa realizar a gestão de sua propriedade. “Basicamente o agricultor desconhece os números de sua propriedade. Faltam dados que permitam a ele a tomada de decisões mais assertivas para a manutenção do negócio e a adoção de estratégias para o aumento da lucratividade”, observa Sossella. E é justamente o aumento dos ganhos na lavoura que estão entre os principais benefícios da solução. 

O CEO salienta que nessas culturas, a mão de obra, por exemplo, é um dos fatores que mais impacta nos custos do produto, chegando até a 50% em alguns dos casos. Dentro desse contexto, uma das funcionalidades da ferramenta é justamente contribuir para o aumento do desempenho da força de trabalho no campo, melhorando a qualidade das entregas funcionais e eliminando o retrabalho. “Já verificamos o aumento do desempenho da mão de obra em até 20%”, comemora Sossella. Dentro desse contexto, a solução permite que o produtor visualize a lucratividade em determinados ciclos de plantio. 

Atualmente mais de 60 produtores já utilizam a solução da Hortify, além de uma cooperativa de agricultura familiar que reúne outros 40 produtores e um instituto. Esses clientes possuem planos mensais para utilizarem a plataforma que, dependendo da contratação, inclui até mesmo consultoria com especialistas no segmento. O aplicativo possui três versões, as quais abrangem: produtores e agricultores, distribuidores e cooperativas e profissionais agrícolas, e pode ser utilizado tanto online, quanto off-line, facilitando ainda mais o seu acesso.

Empresa surgiu da paixão pela tecnologia e pelo agronegócio

“Unimos nossas duas paixões: agronegócio e tecnologia”, brinca Sossella ao lembrar do começo da empresa, que surgiu há três anos, em 2017, na região de Holambra, interior de São Paulo, e carrega consigo empreendedores com 30 anos de experiência de mercado de estufas agrícolas e desenvolvedores experientes no setor de tecnologia. Naquela oportunidade Sossella e os dois sócios, Nelson Scariot Jr e Jucenir. Zanatta, que são todos da cidade de Tapejara (RS), identificaram uma oportunidade de negócio no setor de hortifruticultura

Por estarem ligados ao agronegócio (suas famílias atuam no segmento) perceberam que os operadores do nicho de hortifrutigranjeiros desempenham suas atividades de maneira manual, gerando uma carga excessiva de trabalho. Diferente do manejo de outras culturas, como é o caso de cultivos extensivos de lavouras de grãos, não havia disponível no mercado uma solução específica para a produção de hortaliças – setor em que os produtos podem são mais sensíveis aos tipos de contaminações microbiológicas e químicas, durante e após o processo de produção. 

Separados geograficamente (Vinícius e Nelson em Tapejara e Zanatta em SP), passaram a trabalhar no desenvolvimento da solução para logo em seguida validar a ferramenta com produtores. “No início ainda não tínhamos muito claro o que iríamos fazer. Éramos apenas um marketplace e gestão de estufas, mas ouvindo os produtores, surgiu a necessidade da rastreabilidade de alimentos”, recorda o CEO. Em seguida o time ganhou uma nova sócia – Janaina T Zanatta, que possui experiência em administração financeira e Recursos Humanos.

 

Encontro com a VENTIUR

“Por este momento a VENTIUR aparece na nossa história” relata Sossella. Apesar da tecnologia desenvolvida e sendo testada por centenas de produtores, os sócios ainda tinham certo receio em cobrar pela solução pois ainda não estava completa. Participaram do warmup da VENTIUR no início de 2020 em Piracicaba no AgTech Garage e nestes dias Guilherme Kudiess, Sócio da Aceleradora, ressaltou a importância do usuário pagar pela solução. “Se efetivamente a solução resolve uma dor grande, alguém vai pagar por isso” afirma Kudiess. Assim a Hortify foi a campo e gerou suas primeiras vendas.

Mas não foi aí onde Hortify e VENTIUR se uniram. Neste momento o Grupo de Investidores da VENTIUR optaram por não investir na startup. Tempos se passaram até a Hortify ser selecionada no programa IA² MCTI – Inovação Aberta e Inteligência Artificial do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) em conjunto com a Softex. Neste momento, entendendo o amadurecimento da Hortify e já com clientes pagantes, a VENTIUR decidiu por acelerar a Hortify. “Foi uma disputa bastante acirrada no MCTI”, destaca o CEO ao lembrar do processo de seleção.

A iniciativa do MCTI tem como objetivo apoiar projetos de pesquisa e desenvolvimento orientados ao desenvolvimento de soluções em inteligência artificial em quatro áreas prioritárias: agronegócios, saúde, indústria e cidades inteligentes. 

Startup planeja expansão para 2021

Os aportes financeiros que a startup irá receber durante o processo de aceleração da VENTIUR, permitirão que a Hortify consiga implementar seu plano de expansão para 2021. O CEO detalha que a intenção é investir em marketing e vendas, com a adição de novas pessoas para o time. 

Dessa maneira, a startup pretende trabalhar sua capilaridade dentro do segmento do agronegócio, ampliando sua base de clientes e a consequente geração de novos negócios. Sossella destaca que a empresa também aposta no uso de soluções de machine learning, com foco na obtenção de melhores resultados para os produtores. “Queremos auxiliar o produtor ainda mais em sua tomada de decisão, contribuindo para a melhoria em seu negócio”, observa.

O agronegócio é o único segmento econômico que apresentou crescimento no País durante a pandemia do Covid 19. A agropecuária apresentou crescimento de 0,6% no primeiro trimestre de 2020 em comparação ao quarto trimestre de 2019, conforme dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Mesmo com a pandemia, o PIB do setor agropecuário brasileiro deve ter alta de 2,5% em 2020. O setor deve ser também um dos principais responsáveis pela retomada dos negócios no cenário pós pandemia.

Sossella ressalta que a rastreabilidade dos alimentos é uma exigência do Governo, a qual os produtores precisam se adequar. Até o começo de agosto de 2021 todos os vegetais frescos destinados ao consumo humano deverão estar aptos a serem rastreados ao longo de toda a cadeia produtiva. A adoção da rastreabilidade, onde o manejo da produção pode ser registrado, contribui assim com a qualidade dos alimentos e pode assegurar as condições sanitárias dos alimentos. A rastreabilidade consiste, por meio do uso de um QRCode, na identificação do processo de produção de um alimento. 

Esse mecanismo garante a qualidade dos produtos. A ferramenta permite que o produto implemente a rastreabilidade de forma simples e funcional, possibilitando que ele registre suas atividades no caderno de campo e gere o QRCode para aplicação no alimento produzido. Para saber mais sobre a Hortify acesse o site https://hortify.app/ ou nas redes sociais pelo @hortify.