Começar uma startup é um desejo para muitos empreendedores, porém não saber quais os passos a serem tomados é muito comum entre eles. Hoje já existem alguns manuais que auxiliam no desenvolvimento e podem ser utilizados como base, mas não há receita de bolo que garanta o sucesso de uma startup, ainda mais por trabalhar em um ambiente de grande incerteza.

Steve Blank em Do Sonho à Realização em 4 passos e Bill Aulet em Disciplined Entrepreneurship são alguns dos modelos favoritos e bastante utilizados para auxiliar no desenvolvimento de uma nova startup. Este artigo segue os princípios de Sam Altam, Presidente da Aceleradora Y Combinator, que já acelerou mais de 2.000 startups.

Para desenvolver uma startup de sucesso são necessários 4 princípios básicos. São eles: ideia, produto, time e execução. Cada um deles é muito relevante e será abordado individualmente.

Ideia
Por mais que uma boa execução seja 10x mais importante que a ideia, uma ideia ruim segue sendo uma ideia ruim. Uma excelente execução de uma ideia ruim não levará a lugar algum.

Parece estranho, mas as startups que dão certo possuem ideias que parecem boas e ruins ao mesmo tempo.

Para se ter uma boa ideia é necessário identificar um problema preferencialmente em um mercado crescente e que seja possível se defender através de barreiras de entrada. Pense em como será o mercado em 10 anos, não apenas em como ele está hoje.

Comece com um núcleo pequeno, resolvendo um problema que seja uma dor latente do mercado e só então vá expandindo. Seja apaixonado por esse problema e torne a resolução dele a missão da startup.

Você não terá condições de competir e dominar um grande mercado logo de cara. Faça o melhor esforço possível para criar um monopólio em um mercado pequeno antes de se aventurar em um mercado gigante.

A ideia precisa permitir que seja replicada. Por mais que no início atenda-se poucos clientes, uma startup só se tornará uma empresa se a ideia permitir escalar.

Faça planos, mesmo que você não siga à risca. Planos ajudam a dar um norte e manter a calma, o que é muito importante para os empreendedores.

Lembre-se, construir uma startup é uma maratona, e não uma corrida de 100 metros. Por mais que o crescimento seja acelerado, uma startup leva, em média, 7 a 10 anos até atingir resultados consistentes ou um exit.

Produto
Grande Ideia > Grande Produto > Grande Empresa

Depois que você desenvolveu uma ideia e possui as premissas básicas, é hora de colocar a mão na massa

Construa algo que seus clientes ou usuários amem. Converse com eles o máximo de vezes possível para coletar feedbacks constantes. Uma das premissas para quem está realizando as suas primeiras validações no mercado é: É melhor desenvolver um produto que poucas pessoas amem, do que muitas pessoas gostem.

Quando você desenvolve algo que pessoas amam, elas compartilham com seus familiares, amigos e colegas de trabalho, gerando crescimento orgânico para sua startup. Se você não possui um mínimo de crescimento orgânico, provavelmente seu produto não está bom o suficiente.

Não se preocupe se seus concorrentes estão gastando muito dinheiro em publicidade e o que eles farão no futuro. Existem muitas empresas e startups no mercado fazendo muito barulho e pouca entrega. Foque no seu produto e no seu cliente.

Seja detalhista e cuide muito bem dos seus clientes, especialmente no início. Cada interação com o cliente deve ser valorizada pois isso gera muito engajamento e aprendizado.

Faça coisas que não escalam. No início faz parte realizar ações que não geram a escala tão sonhada pelos empreendedores. Faz parte do aprendizado e do crescimento. Isso vai desde marketing local, suporte, entrevistas, backoffice…

Os passos para avaliar o produto são:
1. Mostre o produto aos usuários / clientes
2. Identifique:
O que eles gostam?
O que eles pagariam para ter?
O que faria eles recomendarem o produto?
3. Tome decisões com base nos feedbacks

Utilize as seguintes métricas para medir o sucesso do produto
1. Métricas
Total de registros / usuários / clientes
Usuários ativos / usando o produto
Níveis de atividade por funcionalidade
Retenção por Cohort
Receita
Net Promoter Score

Time
Fundadores
O time é tão ou mais essencial do que uma ideia ou um bom produto. É ele que vai contribuir muito para o sucesso da startup pois garantirá a execução.

Por isso escolher aleatoriamente um cofundador ou escolher alguém que você não tenha uma longa história juntos pode ser uma escolha ruim. É bastante natural encontrar um co-founder na universidade ou no trabalho. Em geral grandes empresas possuem muitos funcionários motivados a sair para empreender.

Habilidades comportamentais são mais importante do que habilidades técnicas. O que é técnico se aprende se houver comprometimento. Mas é importante que o seu co-founder complemente as habilidades que você não tem. Em geral espera-se que um dos fundadores tenha um perfil mais comercial e outro técnico. Se tiver a possibilidade de um gestor junto, ponto positivo também.

Para uma startup é essencial que tenha no time pelo menos um sócio desenvolvedor. Caso você não tenha alguém com o perfil no time, busque pois é fundamental. Terceirizar o desenvolvimento é um risco muito alto pois torna o processo lento e toda startup precisa fazer ajustes rápidos no produto o tempo inteiro. Além do mais, o produto nunca estará pronto.

Contratações
Tente não contratar no início. Por mais que você possa se orgulhar, funcionários comprometerão muito dinheiro e vão acelerar o runway, queimando mais dinheiro e obrigando você a tomar decisões sob tensão.

No início, você só deverá contratar quando estiver desesperadamente precisando para atingir seus objetivos. E não esqueça, o custo de contratar errado no início é muito alto.

Contratando as pessoas certas
Quando você estiver contratando pessoas, essa deve ser a sua prioridade. É um processo longo e você deve levar em consideração que a missão da sua startup é o que os candidatos estão mais olhando.

Contrate pessoas competentes. Pessoas medíocres não causam problemas em grandes empresas, mas em startups sim. Pergunte sobre os projetos que a pessoa já se envolveu, busque validar cinco coisas que você precisa encontrar no candidato:
1. É inteligente?
2. Conclui tarefas?
3. Gostaria de passar bastante tempo com essa pessoa?
4. Possui boa comunicação?
5. É determinado?

Se possível, faça um período de experiência com essa pessoa com algum projeto específico antes de contratar definitivamente. No início você irá ser um péssimo entrevistador, é normal, mas será mais fácil de avaliar após trabalharem juntos.

Agora que você contratou, é importante manter os talentos.

Nos Estados Unidos é natural separar pelo menos 10% da empresa para os primeiros funcionários. Essa é uma estratégia que contribui para atrair bons talentos quando não é possível pagar os salários adequados.

Você precisa garantir que seus funcionários sejam felizes e se sintam valorizados. Dê a eles o crédito pelas coisas que aconteçam. Não microgerencie. Se você contratou bem, dê liberdade e responsabilidade.

Porém, se você percebeu que errou na contratação, demita rápido. É o melhor para você e para o funcionário.

Execução
A execução não é parte mais divertida de começar uma startup, mas é a mais crítica. E para começar uma startup que executa bem, é você, co-founder, que precisa executar bem. Tudo o que acontece em uma startup é moldado a partir dos fundadores. A empresa precisa te ver como uma máquina de execução, pois as ideias por si só não são nada. Apenas com execução é que vai gerar valor.

Papel do CEO
O CEO possui 5 trabalhos:
1. Dar a visão
2. Levantar dinheiro
3. Evangelizar
4. Contratar e gerenciar
5. Garantir que toda a empresa execute

E precisa dar atenção para que a startup tenha dois comportamentos:
1. Foco
Onde você está investindo tempo e dinheiro?
Quais são as duas ou três principais atividades a se fazer?
Dizer não, e muito
Setar as metas alcançáveis com desafios.
Comunicar adequadamente interna e externamente
Manter crescimento
a) Você deve ter as métricas certas e esteja focado em crescer essas métricas para ter crescimento.
b) É comum que as startups se deixem levar por ações de mídia e relações públicas. Não permita que isso desfoque do crescimento.
Trabalhar em time

2. Intensidade
Startups só trabalham com bastante intensidade
Mantenha o ritmo de operação implacável
a) Manutenção do produto
b) Lançamento de novas funcionalidades

Se você já está com o barco andando, veja o que falta e se adeque. Muito do sucesso dos empreendedores se dão justamente pelo aprendizado da jornada.

George Gallas
Gestor de Aceleração