O décimo bootcamp da etapa de aceleração do Programa BRDE Labs foi realizado na última quinta-feira, 22. O bate-papo online teve como temática Métodos Ágeis de Gestão e Liderança, com o palestrante Rafael Prikladnicki, Gestor de Negócios e Relacionamento do Parque Científico e Tecnológico da PUCRS (Tecnopuc). Prikladnicki também é co-fundador do GUMA-RS desde 2009, foi coordenador geral da Agile Brazil, e co-fundador e board da Agile Alliance Brazil.

Entre os pontos destacados pelo Gestor de Negócios e Relacionamento do Tecnopuc, está o ponto de equilíbrio: “Aqui estamos falando de startups: então é muito importante entendermos a dinâmica de empreender. Todos nós estamos sendo convidados a reencontrar nosso ponto de equilíbrio”. Além disso, o palestrante reforçou que a agilidade deve ser entendida e tratada no sentido de cultura, posição, mentalidade.

De acordo com ele, é preciso “criar experiências que ressignifiquem a nossa forma de gerir, de nos relacionar e de lidar com a tecnologia”. Prikladnicki ainda relembrou  que, no paradigma industrial, as pessoas e empresas aprenderam a trabalhar na antecipação, e muitas ainda permanecem assim. Um dos exemplos é a educação: “As Universidades da Aliança para Inovação, UFRGS, PUCRS e Unisinos, tem se movimentado para mudar essa lógica na educação”, disse.

Ele destacou que a lógica da escassez está se transformando na lógica da abundância. E no paradigma digital, o que existe é a colaboração, a criatividade e a exponencialidade. “O fato é que precisamos nos adaptar a um mundo que já mudou. E se não fizermos nada, vamos ficar com a sensação de um gap do que estamos fazendo e do que está acontecendo”, frisou o palestrante. Segundo Prikladnicki, existe um conflito quando o pensamento digital ganha mais espaço. “Isso porque nem todos nós temos a mesma orientação temporal. Podemos discutir sobre gestão e descobrir que cada um pensa de um jeito. Nós temos evoluído bastante mas ainda tem um longo caminho”, afirmou.

Sobre 2020, o Gestor de Negócios e Relacionamento do Tecnopuc explica: “trouxemos para o presente 5 anos de futuro nesse isolamento físico. Utilizamos a tecnologia para facilitar nosso modelo de gestão e de trabalho. Por isso, é preciso valorizar o posicionamento de abundância e não de escassez”. Ele ainda resgata um exemplo como o da greve dos caminhoneiros. “É o exemplo perfeito de escassez. Todos foram abastecer os veículos sem precisar. É a lógica da escassez. Às vezes é difícil entender e agir com a lógica da abundância”, explica.

Nas organizações, ele ainda contou sobre a atualização recente do Modelo de Gestão do Tecnopuc: “Desde 2017, saímos do modelo de gestão centralizada para o modelo de gestão distribuída. E este ano diminuímos ainda mais os níveis hierárquicos. No Parque, temos um modelo baseado na autonomia e no empoderamento, que existem com alinhamento e responsabilidade”. Entenda o novo modelo de gestão do Tecnopuc clicando aqui.

O palestrante também cita um tripé crucial: novas tecnologias, nova mentalidade e novas organizações. Para ele, é preciso transformar, inovar e agir. “Reencontrar o nosso ponto de equilíbrio no mundo que está mudando”, acrescenta Prikladnicki.

Participaram do evento representantes do BRDE, da VENTIUR, das três das universidades que integram a Aliança para Inovação – UFRGS, PUCRS e Unisinos e empreendedores das 12 startups selecionadas para a etapa de aceleração do Programa BRDE Labs: 2Metric, Agência Besouro, BioIn, DigiFarmz, Elysios, Essent Agro, Faba, Insumo Fácil, Palma Sistemas, Polvo Spot, Optim e Talos.

Assista ao bootcamp no nosso Youtube