logo-ventiur

Menu

AgTech Raks desenvolve sistema inovador para controle de irrigação

Aumentar a eficiência e reduzir o custo da produção de alimentos – esse é o objetivo da Raks, startup acelerada pela VENTIUR desde 2020, e que desenvolve um sistema inteligente para manejo de irrigação na lavoura. Em seus quase cinco anos de trajetória a empresa têm se destacado, tanto em âmbito nacional, quanto internacional, por suas soluções com foco na eficiência e proteção ambiental. 

E a empresa planeja sua expansão para 2022. Recentemente a Raks abriu uma nova rodada para atração de investimentos por meio de financiamento coletivo – equity crowdfunding (falaremos mais desse processo ainda nesse texto). Os novos aportes financeiros têm como objetivo contribuir para o modelo de ampliação do negócio. Sobre a solução da empresa, a CEO e sócia e cofundadora, Fabiane Kuhn, comentou que esta consiste em um sistema voltado a otimizar o processo de irrigação, o qual reduz o desperdício de água e aumenta a produtividade da lavoura. 

Raks soluciona problemas de irrigação na agricultura

Esse controle é feito por meio de um sensor de umidade (criado pela própria Raks – e patenteado no INPI), que utiliza a tecnologia TDR de medição de umidade do solo. Ela explica que os sensores são fixados no campo e alimentados por meio de energia solar, permitindo que sejam captadas até mesmo pequenas alterações de umidade com maior precisão. Segundo Fabiane, esse dispositivo transmite os dados via conexão sem fio e sem a necessidade de internet para o portal da Raks, que une os dados de solo com aspectos de clima, planta e método de irrigação para fornecer ao produtor, por meio de relatórios e gráficos, os dados de quando e quanto irrigar uma determinada área de plantio. 

Ela detalha que a partir da coleta dessas informações, esse processo leva em consideração qual planta deverá ser irrigada naquele momento, eficientizando assim a gestão da lavoura e otimização o manejo da água. Além de fornecer dados referentes à umidade do solo, a ferramenta disponibiliza ainda outras informações relevantes relacionadas à lavoura, como a análise climática. Com base nessas informações, o produtor sabe o momento exato de ativar a irrigação. 

Além de contribuir para a redução dos custos operacionais, a startup também se preocupa com a preservação ambiental a medida que proporciona o uso racional da água. Dentro desse contexto, a solução da Raks tem ganhado cada vez mais espaço no agro, fator que é demonstrado pelo aumento de 90% no volume de vendas apenas no segundo semestre de 2021 em comparação à primeira metade do último ano.

Raks planeja expansão do negócio para 2022

A Raks está com uma rodada aberta para captação de novos investimentos por meio de equity crowdfunding – modelo que consiste na troca de participação societária por aporte de recursos. “Nesse formato, qualquer pessoa pode ser tornar sócia da empresa com cotas a partir de R$ 2 mil”, observou a CEO. Se tiver interesse em obter mais informações sobre esse processo, acesse o link da rodada. 

Os novos aportes financeiros permitirão que a Raks possa avançar em seu plano de expansão dos negócios, o que inclui a busca por novos mercados. Atualmente o Brasil ocupa a nona posição no ranking de países com mais áreas irrigadas – são 8,2 milhões de hectares irrigados, com previsão de aumento para 12,24 milhões até 2040. E é justamente de olho nesse mercado gigante que a empresa trabalha para ampliar sua atuação. 

“Queremos estruturar uma máquina de vendas para expandir nossa atuação e também aprimorar o nosso produto”, comentou a CEO. Ela revelou que atualmente a solução da empresa está presente em propriedades rurais de cincos estados brasileiros além do Rio Grande do Sul: Minas Gerais, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Bahia e Pará. Nestas regiões a Raks atua, especialmente, em lavouras de soja, milho e nogueira pecã, mas a intenção é atuar também em outros estados e culturas, como é o caso do café e do mirtilo. 

“Nosso objetivo é aumentar a base de hectares que cobrimos atualmente, e passar a atender também produtores de maior porte”, revelou. Atualmente a empresa atende principalmente pequenos e médios agricultores, totalizando mais de dois mil hectares monitorados. 

Demanda crescente por alimentos impulsiona soluções inovadoras

Aumentar a produção de alimentos nas próximas décadas é um dos principais desafios do agronegócio em todo o mundo. Isso porque a população mundial deve chegar a 9,6 bilhões de pessoas em 2050, conforme dados da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO). Para alcançar esse índice, a produção atual deve aumentar em 70%. 

Dentro desse contexto, ferramentas como as desenvolvidas pela Raks devem contribuir ainda mais com a eficiência do setor. No caso dos sensores, em específico, estes aumentam o controle e a precisão da atividade agrícola como vimos acima. Com o barateamento dos custos desses dispositivos, a tendência é que essas funcionalidades cada vez mais deixem de ficar restritas apenas aos grandes produtores e cada vez mais sejam utilizadas pelos pequenos e médios agricultores.  

Ferramentas como estas aumentam o controle e a precisão da atividade agrícola – e é justamente iniciativas como estas que as AgTechs têm levado ao segmento. Utilizando tecnologia de ponta, as startups do agronegócio entregam soluções inovadoras também para setores como pecuária de corte e gado leiteiro. A VENTIUR possui um programa de investimento dedicado à aceleração dessas startups, o Grupo de Investidores VENTIUR AgTech.

E como surgiu a Raks?

A proposta inovadora da Raks surgiu em 2015, ainda quando Fabiane e um dos seus atuais sócios, Guilherme de Oliveira Ramos, estavam no Ensino Médio na cidade de Novo Hamburgo/RS, onde cursavam eletrônica. Naquela oportunidade os dois desenvolveram 

uma pesquisa científica com foco na resolução dos problemas causados pela crise hídrica que ocorreu no Brasil naquele ano.

Dados da ONU indicam que cerca de 70% de toda água disponível no mundo é destinada à agricultura., sendo que 50% desse total é desperdiçado no processo de irrigação, em especial devido à falta de tecnologia no manejo desses recursos. A partir desse cenário, nos dois anos seguintes os sócios participaram de mostras científicas no Brasil e no exterior, onde apresentaram sua pesquisa. Durante esse período, eles perceberam que mesmo seu trabalho sendo reconhecido, a solução não chegava ao produtor rural e dessa maneira, em 2017 resolveram estruturar a Raks.

Ainda naquele ano a empresa foi incubada no polo tecnológico da Unisinos, o Tecnosinos, em São Leopoldo/RS, após ser uma das vencedoras do Prêmio Roser – iniciativa da universidade que premia projetos de empreendimentos que proponham soluções inovadoras para os desafios atuais da sociedade. Além de Fabiane e Guilherme, a empresa tem como sócio ainda Vinicius Muller Silveira – todos são da área de tecnologia. O trio conta ainda com uma equipe de especialistas tanto da área de computação, quanto de agronomia.

A startup já reconhecida em nível mundial por meio de prêmios e parcerias como a seleção pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (APEX) para participar da maior feira de tecnologia do Oriente Médio, a GITEX Technology Week, que aconteceu em Dubai, nos Emirados Árabes, em 2021. Além disso, a Raks também foi selecionada como TOP 5 soluções para sensores de solo do mundo pelo StartUS Insights.


A Raks foi acelerada pela VENTIUR em 2020. Durante o período de aceleração a startup contou com uma intensa agenda de atividades, a qual inclui bootcamps, mentorias, reuniões de acompanhamento e eventos de capacitação com foco no desenvolvimento dos empreendedores e de seu time. Se quiser conhecer mais sobre os programas de aceleração e investimento em startups da VENTIUR, entre em contato com nossa equipe.

A VENTIUR é uma das principais Aceleradoras do País, tendo investido em mais de 70 startups ao longo de seus nove anos de atuação.

Compartilhamos propósitos
e resultados

Ventiur
Importantes
Fale Conosco

Email: contato@ventiur.net
Av. Unisinos, 950 / Sala 101
Tecnosinos – Unitec I
São Leopoldo/RS

© Copyright Ventiur – 2021 | Todos os direitos reservados

Aclamadas pela comunidade científica, as Deep Techs estão sob o mesmo guarda-chuva de empresas criadas a partir de disrupções em áreas como biotecnologia, engenharia e arquitetura de dados, genética, matemática, ciência da computação, robótica, química, física e tecnologias mais sofisticadas e profundas. São startups que propõem inovações significativas para enfrentar grandes problemas que afetam o mundo.

 

Por mais que tentar chegar a uma definição possa parecer um exercício bastante ousado, quando falamos de uma área de tamanho conhecimento e aplicação, negócios que se enquadram dentro deste conceito, tratamos de soluções com alto valor agregado, que irão impactar positivamente não só um grupo determinado específico de pessoas, mas que podem mudar o mundo.

 

Para fomentar ainda mais o setor e auxiliar nesse crescimento, o Delta Capital abriu inscrições para selecionar Deep Techs. A chamada inicia dia 22/11 e vai até 10/12, não perca tempo e inscreva-se aqui!

 

 Em breve conheceremos as iniciativas selecionadas.